Salário mínimo seguirá sem aumento real

O presidente Bolsonaro enviou ao Congresso a proposta de reajuste para o salário mínimo em 2023. Segundo o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), o Piso Nacional deve ser reajustado para R$ 1.294,00. Caso seja confirmado, este será o quarto ano seguido sem que haja aumento real.

Segundo dados da consultoria IDados, com base na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), o salário mínimo pode alterar os ganhos e rendimentos de cerca de 30 milhões de trabalhadores.

Além disso, o Piso Nacional também serve como base para pagamento de benefícios do INSS, como aposentadorias e pensões. Esse reajuste de R$ 82,00 representa 6,7%, que é justamente o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) previsto pelo Ministério da Economia, em março.

Apesar de querer apenas repor a inflação, caso o indicador seja diferente, o valor do salário mínimo deverá ser revisto. O Executivo tem até dezembro para definir.

Dieese – Todos os meses, o Dieese calcula, através da pesquisa da cesta básica, qual seria o salário mínimo ideal para atender às necessidades de uma família com quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças.

Em janeiro, o Piso Nacional deveria ter sido de R$ 5.997,14, o que corresponde a 4,95 vezes a mais que o salário mínimo vigente. Esse valor deveria ser o suficiente pra suprir os gastos com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e Previdência.

Fonte: Agência Sindical

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.