Salário médio de admissão continua a perder valor

O IBGE apresentou recentemente os últimos dados sobre o desemprego no Brasil que mostrou que a taxa de pessoas sem emprego formal é de 9,8%. Para muitos isso é ótimo e mostra que a economia do país aos poucos tenta se recuperar, mesmo com o governo que está no planalto hoje. Mas nem tudo é flores.

O salário médio de contratação com carteira assinada caiu e já acumula uma queda de 5,6% em 1 ano. Esse dado é apresentado pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Previdência.

O salário médio de contratação em maio foi de R$ 1.898, contra um valor de R$ 1.916 em abril, e de R$ 2.010 em maio de 2021.

Só o mês de abril deste ano sinalizou aumento no salário médio de contratação, os demais meses deste ano foram de queda no valor.

“Essa queda no salário de admissão já foi até pior. Mas isso não significa que o salário daqui a pouco vai começar a apresentar ganho. Provavelmente, não vai. Quem está entrando no mercado de trabalho, está predominantemente aceitando um salário menor do que se pagava 12 meses atrás”, afirma Fabio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), destacando que o país ainda reúne 10,6 milhões de desempregados em busca de uma vaga no mercado de trabalho.

Em pesquisa recente realizada pela CNC com 140 profissões que registraram maior volume de contratações, somente oito, o salário de admissão conseguiu bater a inflação do último ano.

O Brasil com Bolsonaro e Paulo Guedes piorou!

Com informações do G1

Fonte: Mundo Sindical

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.