Trabalhador sindicalizado ganha salário maior e sofre menos desemprego

No momento em que o sindicalismo busca  ampliar a sindicalização – até como resistência à reforma trabalhista – o jornal Valor Econômico publicou, nesta segunda-feira (11/09), matéria que reforça o acerto da iniciativa. A reportagem mostra os ganhos do sindicalizado.

O enfoque do jornal é o ganho econômico do sindicalizado e também o maior acesso a benefícios em salários indiretos. Está na matéria de Cristiane Bonfanti: “Em setembro de 2015, enquanto não-sindicalizados ganhavam, em média, R$ 1.675,68, os associados de Sindicatos recebiam R$ 2.237,86”. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Resiliência
Além da vantagem econômica, há outros ganhos. O consultor sindical João Guilherme Vargas Netto, há tempos, aponta o que chama de resiliência no emprego. “Posso dizer, de forma empírica, que o sindicalizado resiste mais ao desemprego”, observa. Para ele, há várias razões. “O sindicalizado geralmente integra um setor mais qualificado, é mais próximo ao sindicato, é também uma pessoa mais informada e engajada”, descreve.

Segundo ainda o consultor, embora os dados econômicos apontados pelo Valor sejam corretos, o sindicalismo não discrimina. “Não existe essa distinção entre quem é ou não é sindicalizado. A ação sindical, na prática, beneficia a todos”, observa.

Metalúrgico
O dirigente metalúrgico de Guarulhos, José Pereira dos Santos, também aponta as vantagens da sindicalização. Seu artigo, em jornal da cidade, destaca: “Para nós, não existe trabalhador de primeira ou segunda classe. O que fazemos é um esforço permanente de ampliar o quadro associativo, mesmo em meio à recessão que desemprega em massa. Em nossa Convenção Coletiva, os direitos e benefícios valem pra toda a base.”

E completa: “Neste momento em que o governo tenta nos deixar sem sustentação financeira, a sindicalização ganha importância. Eu digo que o sindicalismo traz progresso e paz social.”

Agentes autônomos
“A participação do trabalhador no sindicato sempre foi importante, pois assim ele tem muito mais condições de conhecer seus direitos. Com a reforma, o trabalhador terá que participar ainda mais do Sindicato pra evitar perdas salariais e também impedir que lhe sejam impostas condições de trabalho desfavoráveis”, ressalta Lourival Figueiredo Melo, presidente da Federação dos Empregados de Agentes Autonômos do Comércio do Estado de São Paulo (Feaac).

Fonte: Agência Sindical

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *