Servidores invadem a Assembleia

Para que serve a frente democrática e popular?

Para enfrentar governo anti-povo do Paraná e impedir o retrocesso.

Central dos Trabalhadores do BrasilA sociedade paranaense já sabe que este governo de Beto Richa não presta! Isso tem expressão em todos os quadrantes do Estado, nas manifestações espontâneas dos mais diversos setores políticos e sociais. Teve início em dezembro de 2014, logo após às eleições quando enfiou goela abaixo dos paranaenses o primeiro pacote de maldades. Aumentou impostos, IPVA 40%, cartórios 33%, itens de consumo popular de 12 para 18%, gasolina de 28 para 29%, taxou os aposentados, antes isentos, retirou direitos dos servidores. Ao todo foram 20 medidas. O povo foi chamado para pagar a conta da incompetência, dos desmandos, da gastança desnaturada do dinheiro público. E tudo com o apoio de uma manada de deputados, corruptos e subservientes.

Incapaz de gerir o Estado, de cumprir seus compromissos, logo no início de 2015, engendra com seus comparsas, mais um pacote de medidas visando extorquir ainda mais a população. Mas desta vez enfrenta pesada resistência, principalmente dos professores e servidores, apoiados pelos movimentos sociais. O objetivo maior era surrupiar os recursos da Paraná Previdência, que sustentava as aposentadorias dos servidores do Estado, para pagar suas despesas. Cerca de R$ 8 bilhões de reais. A resposta foi a invasão da Assembleia Legislativa para impedir a aprovação do projeto.

Beto Richa, o ditador, mostra sua face mais cruel!

A LUTA NÃO PÁRA!

Mais de 100 mil professores e servidores em greve, com amplo apoio da população, continuam a luta, contra as medidas do governo, contra as demissões, os atrasos nos salários e benefícios e a falta de estrutura nas escolas, a redução das turmas, enfim incorporam a luta da população com as bandeiras pela melhoria da educação no Paraná. Intransigente, o governo resolve por enfrentar as manifestações pela violência. Ocorre então o que ficou conhecido como o “massacre do centro cívico”.

A Luta Continua, a sanha arrecadadora movimenta até o empresariado contra o aumento dos impostos. A OAB e as Federações Empresariais se mobilizam contra as medidas fiscais de Beto Richa. Isolado, o governo perdeu todos os escrúpulos. Segundo a PR-Pesquisa sua desaprovação que era de 73% no Estado, chega a 83% na capital.

Mas ele não ouve e ignora a contestação popular, prefere continuar o enfrentamento e aprofundar o projeto tucano no Estado, anti-democrático e anti-povo.

Agora quer calar a voz dos professores e ditar o que devem ou não falar para os seus alunos. Numa nova atitude tresloucada, resolve impor a “Lei da Mordaça”. Pretende impedir a livre manifestação da cidadania. O projeto proíbe manifestação dos servidores nas redes sociais, o uso de adesivos em seus carros, usar camisetas, broches e bonés como forma de protesto. Uma excrescência que afronta a constituição federal. Um atentado contra a liberdade de expressão.

Mas a sanha autoritária não pára. Agora volta-se contra a educação do povo. Não podemos nos iludir. O projeto do fechamento das escolas é uma orientação e um programa nacional dos tucanos, que está sendo implementado onde são governo. É a estratégia do retrocesso na educação que passa pela entrega do pré-sal para o capital privado, pelo projeto entreguista de José Serra que pretende quebrar o regime de partilha do nosso petróleo e impedir que o dinheiro vá para a educação como está definido. Querem destruir a elevada proposta da “Pátria Educadora”. Querem impedir o necessário salto civilizatório que precisamos para transformar o país numa nação forte e soberana. Para favorecer as elites rentistas!

A mentira deslavada do Governador Beto Richa de que o fechamento das escolas vai “otimizar a economia do Estado” é falaciosa e não se sustenta. Precisamos é construir mais e mais escolas de qualidade e parar com o superfaturamento que está sendo feito nas obras em construção. O que diz da Operação “Quadro Negro” do Gaeco – Grupo de Autuação e Repressão ao Crime Organizado que apurou desvios da ordem de R$ 30 milhões na construção das novas escolas que afirma estar construindo?

Mas se pensa que o saco de maldades acabou está enganado. Hoje, dia 29 de outubro, as manchetes dos jornais destacam: “Vitrine” de Richa na Área Social deixará de atender 81 mil famílias. A tal vitrine é o bolsa família dele, que vai penalizar toda esta gente. O corte no orçamento dos 7 programas sociais que diz ter, chega a R$ 25,6 milhões.

Basta! Este governo não pode continuar afrontando o povo e ferindo de morte a democracia!

A CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, ao analisar esta realidade perversa, conclama a unidade de todas as forças que compõem a Frente Democrática e Popular do Paraná, à mobilização e à luta, para impedir a continuidade destes desmandos praticados pelo governo do PSDB no Paraná!

O momento exige a constituição de um vigoroso movimento em defesa da democracia, dos interesses do povo e do Estado do Paraná. Urge a unidade das forças democráticas, da intelectualidade, dos movimentos sociais da cidade e do campo, dos estudantes, do movimento sindical, do empresariado progressista, das lideranças políticas e partidos que têm compromisso com o Estado e seu povo.

Fonte: Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Secretaria Estadual Paraná

2 comments

  1. Marcos

    O que MERDA é isto? Desde quando o MEU sindicato está alinhado com essa corja chamada PT? O CTB até onde eu sei não tem nenhuma relação com o sindicato, por obsequio tirem essa baboseira do ar.
    Lutem pelos trabalhadores, pelos nossos direitos conquistados, não por absurdos deste tipo. Governo (estadual, nacional, PT, tucanos, o que for…) é uma coisa, outra são os trabalhadores da indústria plástica, considerando que todos nós dependemos da atividade privada, ninguém do governo nos dá nada.

    • Valéria Navarro

      Boa tarde Marcos! Em primeiro lugar gostaria de lhe pedir a gentileza de utilizar vocabulário mais respeitoso. Em segundo o NOSSO Sindicato está alinhado com o bem de todos os trabalhadores e trabalhadoras e com aquilo que é justo, independente de linhas partidárias. Em terceiro, a Frente Democrática e Popular é uma iniciativa da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Estado do Paraná. Em quarto: sim, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) também apoia essa iniciativa da FETIEP, assim como o STIQFEPAR e todos os demais Sindicatos associados à Federação. E para finalizar: compreender que a luta de uma classe de trabalhadores é a luta de todos nós e que essas mesmas lutas não podem ficar no âmbito do discurso mas sim enfrentar as opressões na prática é o único caminho para que sigamos conquistando e mantendo os direitos adquiridos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *