Entidades trabalhistas e patronais apresentam propostas para a retomada do desenvolvimento

Reunião das centrais sindicais: Força Sindical; CTB; UGT; CSB e de representantes empresariais, no dia 12 de setembro, entregou propostas à Presidência da República que visam a retomada do desenvolvimento com geração de empregos.

A pauta conjunta entregue estabelece a retomada do crédito; das obras públicas paralisadas; da revisão de normas do seguro-desemprego; desburocratização da administração; recuperação de passivos fiscais; renovação da frota de veículos e maquinário industrial; construção de moradias populares; e promoção do entendimento entre os agentes de petróleo, gás e energia, visando o cumprimento das normas de conteúdo local de forma a destravar os investimentos do setor e gerar demanda para os segmentos nacionais que possuem capacidade de fornecimento com custos e prazos adequados.

O ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha; o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira; o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira; o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o presidente do BNDES, Paulo Rebello de Castro, bem como demais integrantes da equipe ministerial do governo participaram do encontro.

Reunião no Planalto

Os presidentes das centrais sindicais que assinaram o documento tiveram três minutos de intervenção durante o encontro.

Henrique Meirelles disse que ouviu com atenção as intervenções de todos os representantes. No entanto, reforçou a continuidade da política econômica do governo que, segundo ele, torna-se imprescindível para o controle inflacionário e a manutenção da tendência de queda nas taxas de juros para patamares “civilizados”, dentro dos padrões internacionais. Durante o discurso, Meirelles afirmou que os indicadores econômicos apontam para uma recente “retomada do crescimento”. O ministro aproveitou a ocasião para apresentar “resultados positivos” à partir do ajuste fiscal conduzido pelo governo. “O que precisamos é trabalhar e realizar um esforço conjunto para viabilizar um novo ciclo de desenvolvimento. Para isso, contamos o empenho de cada um de vocês para assegurar os pilares necessários para a superação dos desafios que se deparam”, reforçou o ministro da Fazenda.

O presidente Temer encerrou o encontro firmando compromisso para a criação de uma comissão intersetorial para discutir, em conjunto com representantes sindicais; empresariais; do governo; do Senado e da Câmara dos Deputados, uma agenda positiva para o incremento do nível de emprego. Temer, tal como Meirelles, apresentou números daquilo que ele considera “ganhos econômicos” atribuídos à sua gestão. “Essa foi uma reunião de trabalho extremamente produtiva e consolida o início de um ciclo de novas reuniões para a viabilização desta comissão que irá debater soluções práticas no combate ao desemprego”, concluiu o presidente.

Fonte: NCST

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *